Terra livre

Sou a menina dos cabelos crespos,
dos olhos arregalados,
dos lábios carnudos,
de pele escura.
Sim. Sou negra! Sou negra linda!
Sou mulher da África,
dos desertos,
das periferias,
das favelas,
dos roçados.
Vagueio por muitos lugares,
Pulo cercas
Atravesso fronteiras,
desalentos,
medos,
gentes amontoadas,
vidas interrompidas,
separadas!
Minha voz ecoa por aqui e acolá.
Escrevo livros, conto histórias.
Faço música, canto, justiça!
Meu corpo dança, respeito.
Na ciranda das mulheres
Não me calo, denuncio!
Sou forte, sou Resistência!
Não sou sua escrava,
Não sou produto de consumo,
Não sou objeto sexual.
Minha vagina,
Meus peitos,
Meu corpo,
Meu território,
Minha vida,
Decido.
Sou Terra livre!

Foto: Mateus José Moreira

Facebook
WhatsApp
Telegram
Twitter
Print
Email

Artículos relacionados // Artigos relacionados